Meu Perfil
BRASIL, Sul, Mulher, de 46 a 55 anos, Japanese, Cinema e vídeo, Gastronomia, utinaguti e novelas orientais



Histórico


    Categorias
    Todas as mensagens
     utinaguti
     o que eu acho
     filmes e novelas
     lugares
     musica


    Votação
     Dê uma nota para meu blog


    Outros sites
     Kanji em madeira
     Twitter do Millôr Fernandes
     Cawaii - elas moram no Japão
     Rosana Hermann
     Alexandre do Lost in Japan
     gastronomia Marcelo Katsuki
     Lu na China
     Kiyomi em Yokohama
     Kuniyoshi Name - blog
     Elisa no Japão
     blog da Maria Helena
     alquimia do verbo
     Sobre Okinawa
     dicionário de kanjis
     blog de Alexandre Inagaki
     para estudar japonês
     Etiqueta japonesa
     sobre Okinawa


     
     
    ...:+< YUNTAKU - TIAMPURU >+:...

    filmes e novelas



     
     

    DORAMA HOTARU NO HIKARI

     

     

    Assisti a muitas novelas mas, o estilo de dorama que eu gosto é o romântico,  leve e com alguma comédia. De todas as que vi, gostei de:

    a) Long Vacation  (ロングバケーション), com os atores Kimura Takuya  e Yamaguchi Tomoko.

    b) Beautiful Life  (ビューティフルライフ), com os atores Kimura Takuya e Tokiwa Takako.

    c) Anego (アネゴ) com a Shinohara Ryoko como a personagem principal.

    Vi mais ou menos recentemente,  Hotaru no Hikari (ホタルノヒカリ), com os atores principais Ayase Haruka  e Fujiki Naohito, que também é do mesmo estilo. Há a primeira temporada e a segunda temporada.

    As novelas acima são leves e não contém personagens carregados para o lado mal. Pra quem gostou das novelas a, b e c, eu recomendo.

    Alguns dos aspectos que HOTARU NO HIKARI contém:

    >> a história começa com o Butchô (部長) voltando para a sua antiga casa após o término de seu casamento. Chegando lá, leva um susto ao constatar que seu pai permitiu que a jovem Amemiya morasse lá. Amemiya gosta da casa porque tem uma varanda no estilo japonês (engawa  縁側) que dá para um jardinzinho no quintal. Porém, Amemiya tem muitos defeitos e um deles é que é muito distraída e desorganizada

    >> Amemiya adora se vestir confortavelmente (usar camiseta e agasalho que eles chamam de djaadji) e beber uma latinha de cerveja gelada, na varanda da casa, após cumprir algum trabalho.  É verdadeiramente estimulante o modo que ela faz “Aaah!” depois do primeiro gole

    >> o Butchô (chefe de departamento) é o chefe de Amemiya e no escritório de projetos de interiores, ninguém sabe que moram juntos

    >> há muitos jovens no ambiente de trabalho e dá pra ver como é o relacionamento entre eles e como vão se formando os casais nas empresas. Lembra muito a novela Anego.

    >> o namoro do casal principal. Embora morem juntos desde o início da novela, há pouco contato físico e beijo então, quase nada.  Um leve toque de lábios, a muito custo. E ela não consegue deixar de chamá-lo de chefe.

    >> a atriz principal lembra um pouco Drew Barrymore e o ator principal também é cantor.  Eu o acho meio magro e de pernas um pouco finas (e daí, né?) mas é uma gracinha também.

     

    Obs.: Os beijinhos (leve roçar de lábios) dessa novela contrastam muito com os beijos de novelas brasileiras.  Talvez porque chamem a protagonista de Himono Onna (干物女).  Expressão que eu não conheço mas, que é mais ou menos mulher seca, que não tem apelo sexual, não é desejada e não tem charme.   Se você leu o texto abaixo sobre  Por que Yuntaku Tiampuru,  vai entender que que posso chamar este blog de "himono burogu", também.

     

    Já comentei sobre a novela  Beautiful Life, aqui:

    http://nozomi.zip.net/cinema/arch2009-01-01_2009-01-31.html   e

    http://nozomi.zip.net/cinema/arch2009-02-01_2009-02-28.html

     

     

     



    Escrito por eu mesma às 10:17:00 PM
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



     
     

    personagens da Jane Austen

    No link  abaixo:

    http://www.elo7.com.br/restaure

    Produtos que lembram os personagens da Jane Austen. 

     

     

     

     



    Escrito por eu mesma às 06:09:24 PM
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



     
     

    NOVELA OU MÚSICA

     

     

    Dias atrás, no salão de cabeleireiro, enquanto eu fazia as unhas, chega uma mãe toda produzida, com dois meninos, de 12 e 10 anos e muita pressa. Eu disse, produzida mas, não quis dizer chique, bonitona e nem de muita classe.

    Para a cabeleireira e apontando o menino menor, pede que corte com máquina e deixe uma franjinha.  E, vai embora.

    O cabelo do menino foi cortado em menos de 10 minutos. Enquanto isso, a cabeleireira perguntou se são irmãos, no que o mais velho, mais conversador, respondeu:  só de mãe, os nossos pais são diferentes. E, foi enumerando as diferenças entre eles, quanto ao cabelo, a pele.  Realmente, poderiam não ser irmãos.

    Quando chegou a sua vez de cortar, tirou do bolso um papel A4 dobrado e meio amassado com uma foto impressa. Era uma imagem ruim causada por   cartuchos quando estão no final.

    Mas, a foto, de quem é?  Se eu perguntar a 10 pessoas que estão sabendo o que acontece na internet, os 10 sabem a resposta: Justin Bieber.

     

    Os fatos acima, fizeram-me lembrar do dorama (novela japonesa)  “Beautiful Life” com Kimura Takuya e Tokiwa Takako. O Kimura é cabeleireiro e a namorada lembra nostalgicamente que foi ao cabeleireiro sozinha pela primeira vez  com uma foto da artista preferida que serviria de modelo.  Nas cenas finais, o Kimura tinha o seu próprio salão à beira-mar, surfava nas horas vagas e cortava os cabelos de uma menina que também trazia a foto de uma artista.   Deve ser muito comum.

    copiei de:

    http://sobretudo.org/cabelo-de-justin-bieber-penteado-fotos.html

     

     



    Escrito por eu mesma às 09:15:24 PM
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



     
     

    VIRILIDADE

     

     

    Após os meus 50 (anos), chego à conclusão que a virilidade pode ser observada de várias formas muito sutis e que as mulheres não precisam vê-la da maneira escancarada.

     

    Uma delas, é a habilidade com que maneja os utensílios da cozinha, corta legumes, carnes e sashimis e adiciona temperos aos pratos!!!

    A outra habilidade é o ballet masculino (lembra de Baryshnikov?), principalmente quando faz aquela postura com os dois braços esticados em linha e só as mãos inclinadas delicadamente para baixo ou para cima.  Muitos homens diriam “que boiolice!” Mas, pra mim é um belo sinal de virilidade. E, aos vinte anos não teria percebido, nem de leve.

     

    Veja no filme abaixo, se não estou certa, a virilidade do ballet  no espetáculo Don Quixote:


     

    O trecho acima é do filme Mao’s Last Dancer, baseado no Livro Adeus China que foi escrito por Li Cunxin.  Quando ler o livro, contarei como é. Já o filme é primoroso. Como disse muito antes, choro por qualquer coisa e nas cenas finais deste filme, fiquei com lágrimas nos olhos.

     

    Falando em habilidades e antes que haja comentários maldosos,  o meu marido se encaixaria  na primeira.  Quanto à segunda, para alívio de alguns,  não conheço pessoalmente ninguém que dança ballet, muito menos executa o  “Don Quixote”.

     

     

     

     



    Escrito por eu mesma às 10:45:24 PM
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



     
     

    SUMMER SNOW - novela japonesa

     

     

    (doramá)

     

    Vi recentemente, Summer Snow (サマー スノ), uma novela japonesa de 11 capítulos. É a história da família de Natsuo Shinoda que cuida dos irmãos mais novos Jun e Chika, depois que os pais faleceram em um acidente.  Natsuo tem uma loja de bicicletas que dá o sustento aos três, com algum sacrifício.

    Esse panorama já diz tudo, é uma novela para derramar lágrimas. Também contém muitas cenas engraçadas, graças ao personagem Natsuo.  O que mais se destaca na verdade é o caráter de Natsuo que mesmo tendo ficado órfão, é uma pessoa íntegra e boa que além de proteger de um jeito especial  seus irmãos mais novos, quer ajudar a todos que encontra no dia a dia.

    E, sem contar as muitas cenas de refeições que eu aprecio os detalhes, por adorar comida japonesa.

     

    Também aparece o Otsukimi, festival para olhar a lua cheia que acontece geralmente no outono.  Lembro que na infância, nos mangás que lia, havia referências ao evento, com pessoas vestidas de kimono de verão na varanda da casa e bolinhos branquinhos servidos à lua, como oferenda.

     

    Nem falei da namorada de Natsuo, Yuki (a atriz é Hirosue Ryoko) que tem um jeito de se expressar muito delicado.  Lembrei-me que ela fez o filme Okuribito (A Partida), com essa particularidade semelhante. Yuki está doente e não conta a Natsuo, mas quer ir mergulhar com ele, para ver a neve de verão, no fundo do mar.

     

    Algumas novelas orientais tem alguns personagens com a característica de pessoas exemplares, honestas, batalhadoras, bondosas e também sofredoras e por isso fazem o telespectador chorar.  Vou citar alguns personagens, Aya de Ichi Rittoru no Namida, o Natsuo dessa novela,  a Yankumi da novela Gokusen,  a Yon Soo da novela coreana Beautiful Days e a Jung-Suh da novela coreana Stairway to Heaven...  só lembrei desses, graças ao nosso buscador (google) que forneceu algumas informações.

     

     



    Escrito por eu mesma às 06:46:42 PM
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



     
     

    CLOSED NOTE - filme japonês

     

     

    Assisti também ao filme japonês Closed Note (クローズド・ノート).  Um filme muito romântico.  Vale a pena ver.  É a história de um diário que ficou no armário de uma casa e a nova moradora o encontra. Gradativamente, a moça vai lendo e ao mesmo tempo vai conhecendo um rapaz que sempre está ali por perto da casa... tudo a ver, é claro.  E a dona do diário é mais uma personagem exemplar, honesta, batalhadora e muito boa...

     

    obs.: fiz uma campanha (abaixo) para dar um pacotinho de café... que afinal deu um comentário... do meu primo... muito bacana, vai ganhar um pacote de café...

     

     



    Escrito por eu mesma às 06:45:28 PM
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



     
     

    Dica de uma comédia romântica (filme coreano).

     

     

    Título do filme em inglês:  200 pounds of beauty   (em coreano 미녀는 괴로워 )

    Com o ator “handsome”  Joo Jin Mo (em coreano 주진모)

    Resumo do filme: Hanna é um garota obesa, feia e apaixonada por Sang-Joon (Joo Jin Mo), um produtor de discos.  Ela trabalha em disque-sexo e também empresta a sua bela voz à cantora Ammy que não canta nada mas faz muito sucesso, graças a Sang-Joon.  Como Sang-Joon trata Hanna gentilmente, Ammy com ciúmes,  fica tentando prejudicá-la.

    No início do filme até o meio, o caráter de San-Joon é indefinido porque ele manipula o Sr. Choi para apaziguar com o pai, o presidente da gravadora. E, Hanna ouve, escondida, um diálogo entre Sang-Joon e Ammy onde ele afirma que ela é horrorosa e gorda e está usando-a por causa da voz.

    Arrasada, depois do que ouviu, Hanna decide fazer uma cirurgia plástica radical e fica afastada por um ano, para ressurgir linda e magra.

    Irreconhecível, com o nome de Jenny, vai tentar ser vocal de Ammy novamente.  A partir daí, os produtores não precisam mais de Ammy, só de Jenny que começa a fazer um sucesso estrondoso...

     

    O tema do filme é a importância da aparência na vida das pessoas e as cirurgias plásticas. Hanna, que se transformou em Jenny, sai à rua, linda e maravilhosa e vê que  todos os rapazes são atenciosos com ela... mas, ao mesmo tempo, fica apreensiva porque esconde o terrível segredo: a sua beleza artificial, aspecto que San-Joon despreza  dizendo; para a minha garota, não quero cirurgia plástica.

     

    Quase nas cenas finais, San-Joon revela ser aquele grande herói que defende a mocinha das garras do vilão, o presidente da gravadora.  Impressiona os oponentes quando demonstra a sua fúria, esmurrando  com força um copo sobre a mesa, sem se importar com os ferimentos causados na sua mão... Essa cena valeu por todo o filme...  

    Antes, comentava sobre o tal de Lee Byung Hun.  Esqueça.  Bom mesmo é Joo Jin Mo.  

    Veja um trecho do filme no Youtube:

     

     

    =======================================================================================

    Algumas notas sobre a Copa:

    # a cada Copa que vem, eu assisto menos os jogos.  Fico parecendo um ET, porque a cada Copa que vem, mais pessoas vestem a camisa amarela nos dias de jogos e eu saio à rua de rosa, de roupa nada a ver.

    # neste ano, assisti a um jogo inteiro apenas: Alemanha e Inglaterra porque era no domingo e estava em casa. E o jogo foi emocionante do começo ao fim.

    # o time do Uruguai nos ofereceu trechos emocionantes:   Uruguai X Gana (lembra do jogador que segurou a bola com a mão?) e  Uruguai X Holanda (parecia que se tivesse mais 10 minutos de jogo, empataria).

    # jogo do Japão X Paraguai, perdido nos pênaltis.

    # na hora do Brasil X Holanda, fui à quitanda que estava aberta, à pé,  comprar frutas e verduras.  As outras lojas estavam fechadas.  Enquanto estava na quitanda, a Holanda fez o primeiro gol.  Assim mesmo, as pessoas ainda estavam confiantes, ouvia-se muita vuvuzela em todos os lugares.   Quando voltava pra casa, percebi que as vuvuzelas silenciaram...   Era o segundo gol da Holanda.... acabou-se a confiança...

     

      

     

     

     



    Escrito por eu mesma às 08:17:00 PM
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



     
     

    FILMES ROMÂNTICOS

     

     

    Indico os filmes para quem gosta de histórias de amor:  Cartas para Julieta no cinema e Perhaps Love (filme chinês) na internet.

    Cartas para Julieta contém belas paisagens e o balcão fictício em Verona (Itália) da  história de Romeu e Julieta, de William Shakespeare. Dizem que muitas turistas (mulheres apaixonadas) confessam, para Julieta, suas histórias de amor, através de bilhetinhos e cartinhas que ficam pregados nos muros do balcão.  Uma equipe de voluntárias se encarrega, diariamente, de responder as cartas (não explicam como enviam as cartas se nem têm endereço de remetente) e uma das cartas escrita há 50 anos é respondida nos dias de hoje, causando um rebuliço na vida daquela que escreveu no passado, pois é sobre um amor que estava adormecido e foi despertado...

    Perhaps Love ( 如果·爱)  é uma história de amor amarga entre o ator Lin Jian-Dong (Takeshi Kaneshiro) e a atriz Sun Na (Zhou Xun).  O cenário é de filmagens em Hong Kong e no enredo, os dois atores de sucesso, encontram-se para fazer um musical. Tendo sido amantes no passado, o romântico Lin Jian-Dong está ressentido por ter sido abandonado pela egocêntrica Sun Na e a partir do encontro do ex-casal, quadro a quadro, sentimentos de mágoa, agonia e raiva vão surgindo e explodindo em algumas seqüências...


    Quantas e quantas histórias de amor mal resolvidas existem, por aí, para fantasiar? E aquelas perguntas irreplicáveis? se tivesse ficado com o(a) fulano(a)...  ou sicrano(a)...  a vida seria outra... teria outros filhos...   etc... etc...

    É o “se” ou “talvez”  que a magia do cinema pode criar e nós, meros espectadores, podemos assistir,  devanear e nos encantar...

     

    link para o site do filme Cartas para Julieta (Letters to Juliet)

    http://www.letterstojuliet-movie.com/

    link para o site do filme Perhaps Love

    http://lovehkfilm.com/reviews_2/perhaps_love.htm

     



    Escrito por eu mesma às 08:53:59 PM
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



     

    NOVELAS COREANAS

    Quer conhecer as novelas orientais? das coreanas (das várias que assisti) indico Beautiful Days (com Lee Byung Hun e Choi Ji Woo) que já comentei aqui  http://nozomi.zip.net/arch2009-05-01_2009-05-31.html  http://nozomi.zip.net/arch2009-02-01_2009-02-28.html.  

    Das japonesas (das muitas que assisti), para quem gosta de comédia romântica,  indico  Long Vacation com o famoso ator/cantor Takuya Kimura (do tempo que não era tão famoso ainda), essa novelinha é a melhor de todas que vi. 

    Engana-se quem pensa que ver novelas originadas no outro lado do planeta ajuda a compreender melhor o povo.  Basta lembrar que nas novelas da Globo, têm estereótipos e atitudes que não se vêem na casa do vizinho e nem no ambiente de trabalho. É só lá na telinha. As novelas orientais também.... mas faz de conta que é diferente por lá....



    Escrito por eu mesma às 11:24:18 PM
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



     
     

    NENHUM HOMEM É UMA ILHA

     

    Adivinhe quem é na foto (resposta óbvia) que está no link abaixo;

     http://www.cracktwo.com/2010/01/rare-photos-of-famous-people-125-pics.html

    Assisti ao filme “Amor Sem Escalas” e dias depois debatemos, entre as amigas que assistiram. Dá uma boa discussão, a necessidade que o ser humano tem de viver em relacionamentos ou não. No caso, o personagem principal, Ryan Bingham (George Clooney) é um solteiro satisfeito com a vida sem lar. Seus grandes prazeres são, ser tratado como cliente VIP em hotéis e aviões e ter inúmeros cartões fascinantes e deslumbrantes, além dos milhões de pontos na companhia aérea.

     

    Ele poderia viver toda a vida assim, só viajando.  Até que acontecem fatos que o fazem sentir outras emoções e é o que bastou para ver que ter se tornado o mais jovem cliente high top up mega super na companhia aérea,  não era o maior dos sonhos (ficou 320 dias do ano viajando).

     

    No debate, falamos sobre a solidão e a ilusão. Vivemos ou não em ilusões?  Pessoas supersticiosas são iludidas porque acreditam que fazer tudo direitinho, dá direito ao level seguinte?   A minha amiga Cris que lê muitos livros de filosofia diz que o homem normal não pode viver só.  Um dia vai se dar conta que precisa ter relacionamentos.   Eu, por outro lado, acho que nesse mundo globalizado, nessa web, há muitas pessoas sós, sem família, sem relacionamentos e sem amigos (colegas de trabalho não contam).  Estou errada? 

     

    Décadas passadas, vi em uma novela da Globo, Toni Ramos (não lembro que novela) declamando um soneto de John Donne que ficou em minha memória, não o soneto, só a frase final  “por quem os sinos dobram, eles dobram por ti...” que tem a ver com a condição humana...

     

    “Nenhum homem é uma ilha, sozinho em si mesmo; cada homem é parte do continente, parte do todo; se um seixo for levado pelo mar, a Europa fica menor, como se fosse um promontório, assim como se fosse uma parte de seus amigos ou mesmo sua; a morte de qualquer homem me diminui, porque eu sou parte da humanidade; e por isso, nunca procure saber por quem os sinos dobram, eles dobram por ti...”

     

    A frase de maior impacto é  ... a morte de qualquer homem me diminui... perante as tragédias diárias que vemos no noticiário, em Haiti ou aqui... sentimo-nos como grãos de areia... 

     

     

     

    O soneto faz parte do livro Sonetos de Meditação de John Donne. 

    busquei o poema (imagino que esteja correto) aqui:

    http://www.amenokam.com.br/johndonne.htm

     

     

    O soneto em inglês:


     

    “No man is an island, entire of itself; every man is a piece of the continent, a part of the main; if a clod be washed away by the sea, Europe is the less...any man's death diminishes me, because I am involved in mankind...

    Perchance he for whom this bell tolls, may be so ill, as that he knows not it tolls for him; and perchance I may think myself so much better than I am, as that they who are about me...may have caused it to toll for me...and therefore never send to know for whom the bell tolls; it tolls for thee.”

     

     

     

     

     

     

     



    Escrito por eu mesma às 05:45:18 PM
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



     
     

    Hanami – Cerejeiras em Flor

    Aconteceu uma bela surpresa ao ver esse filme alemão.  Duas músicas okinawanas compõe a trilha sonora para fazer fundo ao Butô, a dança das sombras.   Não compreendo o Butô mas, a máscara branca que o bailarino pinta no rosto,  tem algo de trágica e brutal tal qual a morte.

    Uma das questões centrais no filme é a efemérida.  Fui ao dicionário para entender o que é e lá diz que pode ser um inseto que vive um dia e também pode ser algo relacionado a efêmero ou passageiro assim como as cerejeiras no Japão que ano após ano, florescem magnificamente por um curto período de tempo e por metáfora, é a vida de cada um de nós.  Observamos no filme que embora a morte seja o destino mais que certo, as pessoas ficam focadas em rancores antigos (filhos versus pais), falta tempo para dar atenção aos pais (eu me encaixo neste quesito), falta comunicação entre os familiares, as crianças ficam muito tempo diante do videogame e a esposa (nesse caso, a Trudi) anula seus sonhos e desejos para atender as vontades do marido (Rudi) e assim por diante.

    Por conta do filme, quero conhecer o Monte Fuji, daquela forma:  após dias de cerração, de súbito, abrir a porta de correr da sacada da hospedaria e a montanha está lá, brilhante, imponente e maravilhosa. Perfeita. Essa cena valeu por todo o filme e quando Rudi começa a pintar o seu rosto, não me contive... lágrimas começaram a brotar dos meus olhos... E as cerejeiras? Vá ver que vale a pena. É quase um poema.

     

    As músicas okinawanas são:

    1. Tinsagunu hana (てぃんさぐぬ花)  – nesse vídeo é cantado por Natsukawa Rimi (夏川りみ)  que tem uma voz maravilhosa. 

     

    2. Assadoya Yunta (安里屋ゆんた) -

     

     



    Escrito por eu mesma às 11:00:31 PM
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



     
     

    K-MOVIE ONCE IN A SUMMER

     

    Assisti ao filme coreano 

    Once in a Summer (그 해 여름) com o ator Lee Byung Hun ( 이병헌 ) legendado em inglês. É muito bom. Pena que não tem no Brasil, legendado em português. 

    É a história de um professor aposentado (Yoon interpretado por LBH) que se lembra do seu primeiro amor  e os dias que passaram juntos.  Por flashback,  Yoon é universitário e para ficar longe do pai empresário e muito rigoroso,  vai ao interior do país,  junto com estudantes idealistas.  Isto foi no ano de 1969 quando o homem chegou à lua e a Coréia do Sul estava em período de crise política com governo ditatorial. 

     

    Enquanto os amigos fazem o trabalho de caridade na aldeia, Yoon que está entediado, passeia pelos arredores e acaba conhecendo Jung, uma moça delicada e solitária que já perdeu os pais e trabalha como bibliotecária.  Jung faz cartõezinhos para enviar a seus pais que estão no paraíso.  Nenhuma palavra vai escrita no cartão, o galhinho de cipreste é a senha para dizer  “estou bem, não se preocupem.”

     

    No filme, há cenas maravilhosas como o cinema ao ar livre na aldeia, os peixes que viram pedra e choram e também quando Yoon e Jung ouvem a maravilhosa música Yesterday When I was Young ...

     

    LBH é um grande ator, apesar da maquiagem de velho não ser lá uma brastemp.  Quando interpreta o jovem, tem um ar meio inocente e na cena em que reencontra Jung, fora da prisão, está envergonhado e quer ser perdoado... não tem como não sentir emoção...

     

     

     



    Escrito por eu mesma às 11:55:25 PM
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



     
     

    AVATAR - FILME

    Não há outra forma. A história do cinema como um veículo de entretenimento tem que ser dividido em A.A. (antes de Avatar ) e  D.A. (depois de Avatar ), se considerarmos os recursos em 3D (três dimensões).  É o filme do século XXI.

     

    E, tem que ser assistido em imagens 3D.  Vi  no IMAX ( Shopping Palladium ) de Curitiba.  É fabuloso!  Senti-me como uma criança feliz brincando num brinquedo novo ...

    As imagens têm lugares e bichinhos fluorescentes.  Quase tive vontade de levantar a mão e tentar tocá-los porque parecia que estavam a menos de um metro do espectador e era muito mágico.

    Numa das seqüências onde o personagem principal (Jake Sully interpretado pelo ator Sam Worthington) olha a profundidade do abismo, quase tive uma vertigem, como se estivesse eu mesma olhando, petrificada.

    O enredo trata de um tema atual, a destruição que os humanos, criminosamente, cometem à natureza mas também senti uns déjà vu.... como quando, o comandante que dá o início à uma operação de ataque rápido aos povos não-humanos, diz:  quero estar em casa antes do jantar!  Vi isso não sei aonde.

    O ingresso não é barato e dá até pra comprar pela internet (paga-se uma tarifa a mais).  Fui na fila K (parte superior), na parte lateral. A localização não me incomodou, acho que seria pior se fosse nas primeiras fileiras, lá embaixo.

    Tive vontade de assistir mais vezes as cenas das imagens fluorescentes e das paisagens fantásticas, porém não sei se quero enfrentar o som que estava um pouco alto demais para o meu gosto.

     

     

     

     

    Veja mais no site abaixo:

    http://www.imaxpalladium.com.br/

     

    ou pode se cadastrar aqui para adquirir o ingresso pela internet:

    http://www.ingresso.com.br/br/cinema/porcinema.asp?T_PARCERIA=IMAX&T_IDCIDADE=00000018&utm_source=Imax&utm_medium=Site&utm_campaign=Imax&Busca=1&ParceriaBusca=IMAX&DataBusca=27/07/2009&IdGrupoBusca=00000795&IdCidadeCompra=00000018&T_IDCIDADE=00000018

     

     

     

     



    Escrito por eu mesma às 09:18:13 PM
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



     
     

    Filme – O SOLISTA

    Nathaniel (ator Jamie Foxx) está no túnel, cheio de sons ensurdecedores de veículos trafegando em alta velocidade e buzinas ameaçadoras e estridentes.  Quando cerra os olhos e começa a tocar os primeiros acordes do cello, nada do irritante barulho parece ter a menor importância.   Nem mesmo toda a adversidade de miséria, fome, tristeza, insanidade e selvageria que consumiu muitos anos de sua vida parecia importar, diante do privilégio de ter em mãos o precioso instrumento, naquele exato momento.  A partir daquele instante, só se podia ouvir a melodia da sua música sublime, majestosa e  imponente...

     

    Robert Downey Jr é o jornalista Steve Lopez que trabalha no jornal Los Angeles Times e descobre o mendigo Nathaniel.  O filme também discute um tema atual.  Se há futuro para jornais em papel considerando uma  pesquisa que diz que cada vez menos jovens lêem jornais em papel.

     

    Com o passar do tempo, a atuação de  Downey Jr está ficando cada vez melhor.   

     

    Vale a pena ver o filme, principalmente as cenas de música.

     

    O jornalista tem uma coluna no jornal, veja aqui:

    http://www.latimes.com/news/columnists/la-columnist-slopez,1,7162296.columnist

     

    Ouça a música que neste vídeo é interpretado por Rostropovich:

    http://www.youtube.com/watch?v=LU_QR_FTt3E

     

     

     

     



    Escrito por eu mesma às 11:33:43 PM
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



     
     

    Jane Austen

    Peguei na locadora, dois filmes de uma só vez:  "O Clube de Leitura da Jane Austen", onde seis pessoas discutem os seus livros e "Amor e Inocência"  que retrata uma fase da sua vida.   Para quem é sua super fã, é um prato cheio (saboroso).     Para quem é romântico(a) e nunca viu nada de Jane Austen, vale a pena ler os livros e também ver os filmes.   Li três romances,  Razão e Sensibilidade (não gostei muito, talvez, por causa da tradução antiga), Orgulho e Preconceito (melhor de todos e guardei muitas frases de Elizabeth Bennet) e Persuasão (bom).  Não li, Mansfield Park, Emma e A Abadia de Northanger.

    Acredito que quase todos os romances foram filmados e destaco:  a mini-série Orgulho e Preconceito (passou várias vezes no Peope&Arts), é a melhor de todas e tem o ator Colin Firth como Mr Darcy, que é único e inesquecível.   Tanto que ele é Darcy também, no filme da Bridget Jones.   Dos filmes, o melhor é Razão e Sensibilidade, com Emma Thompson e Kate Winslet. Fugindo à regra, o filme é melhor que o livro.  Comprei esse filme e toda a vez que vejo a cena em que Eleonor (Emma T.) descobre que Edward Ferrars (Hugh Grant) não havia se casado, assim como para a personagem,  lágrimas irrompem-se nos meus olhos... e a cada vez, o meu marido olha, incrédulo e pensa - de novo? como é possível?   O filme Persuasão também tem uma cena muito boa, quando o Capitão Wentworth (Ciaran Hinds) escreve uma bela carta, discretamente como se escrevesse uma lista de compras e sem que os amigos percebessem, para Anne Elliot (Amanda Root) e quando ela lê, descobre que o grande amor de sua vida ainda está lá, à  espera de apenas um pequeno gesto seu....   Em todos esses filmes, nada de beijo, só na imaginação.

    Veja no link abaixo, mais sobre os livros (pode baixá-los e ler em inglês):

    http://janeausten.com.br/os-seis-livros-completos-de-jane-austen/

     obs. após escrever este post, resolvi olhar atentamente o site acima. Descubro que todos os romances já viraram filmes ou mini-séries e Orgulho e Preconceito tem oito versões. 

     



    Escrito por eu mesma às 11:14:38 PM
    [ ] [ envie esta mensagem ] [ ]




    [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]