Novela japonesa, livro ou filme - o que é melhor?

Nestes últimos dias, não houve tempo para escrever. Fui à Cambará, fui ao cinema (O curioso caso de Benjamin Button), estou lendo 1808 de Laurentino Gomes e Minha querida Sputnik de Haruki Murakami e assisti também uma novela japonesa de 11 capítulos, além de trabalhar regularmente...ufa...nem acessei a internet...

Os livros que estou lendo mornamente,  ainda não me fisgaram a ponto de ler, página a página, sem parar. Adoro ler vorazmente, ler até o fim, quase sem respirar.   O primeiro romance que me captou dessa maneira foi Negras Raízes de Alex Haley. Um daqueles livros que você põe de pé, como 1808 também, na vertical. Livro desse naipe, impõe respeito. Li Negras Raízes quando era estudante. Comecei às seis da tarde (depois de uma prova difícil na faculdade) e parei só quando a história terminou, às seis da manhã de outro dia. Lembro como foi maravilhoso, atravessar séculos de história, gerações após gerações, em poucas horas de leitura.

Falarei sobre a novela Beautful Life....assisti com avidez, quase num fôlego só...e chorei muito.  Os personagens principais são Shuji(Kimura Takuya)  e Kiyoko (Tokiwa Takako) que se estranham no início, no trânsito, ele andando de motocicleta e ela de carro.  A antipatia mútua já estava instalada quando ela sai do seu carro para uma cadeira de rodas e Shuji fica sem ação porque não imaginava tratar-se de uma deficiente.

Comentando essa prévia já dá para saber que é um filme muito romântico, uma linda história de amor.

À medida que eles vão se conhecendo, observa-se que Shuji trata Kiyoko como uma pessoa normal.  Ele não enxerga a cadeira de rodas como uma barreira.

No decorrer da novela, os personagens principais vão narrando em off, o que sentiam no momento da cena. Sabe-se de antemão que o final não é do tipo "e foram felizes para sempre". 

Quando terminei de ver a novela, não tive como não lembrar de minha irmã que ficou doente e faleceu aos 28 anos, deixando o marido, Ryuta. Eles eram muito apaixonados.  Em homenagem a eles, vou tentar escrever uma suposta continuação dessa novela (ainda está no rascunho).  Não espere grande coisa.

A novela pode ser baixada no endereço abaixo (falado em japonês e legendas em inglês e a de português, tem que procurar).

http://www.mysoju.com/beautiful-life/

ou

http://nhatkyviet.com/2007/06/17/beautiful-life-j-drama-kimura-takuya-tokiwa-takako/

ou

http://d-addicts.net/torrents/beautiful_life_dvd_ep01-11_%5Bjtv%5D.torrent

fotos:

http://burndvdburn.blogspot.com/2007/09/beautiful-life-screen-caps.html

 

 

Quanto ao filme com Brad Pitt, talvez porque estivesse vendo a novela japonesa, não consegui captar o amor entre Benjamin (B Pitt) e Daisy (Cate Blanchett) e nem cheguei a chorar.

Algumas das cenas mais lindas do filme (posso estar sendo injusta) foram:

  • a leitura dos cartões postais que ele enviou de muitos lugares, dizendo que queria muito ter sido um pai presente;
  • ver o amanhecer, com o velho doente, no píer, quando as lentes captam o sol surgindo e os rostos se iluminando gradativamente;
  • quando Daisy termina a dança ao som de jazz (talvez), num coreto da cidade, você ouve o clap clap das palmas, muito longe. Minha amiga lembrou que eles estão em New Orleans e provavelmente os músicos tocavam nas ruas. Então, as palmas são para os músicos.
  • a triste história do relojoeiro que fez um relógio para que o tempo voltasse e trouxesse de volta pra casa, o seu filho soldado que foi à guerra e pereceu.
  • a foto do Sr. Button com a esposa: ele olha enternecido para ela. Significa que ele amava a muito.
  • e Bratt Pitt, jovem, lindo, correndo na sua motocicleta. Acho que ouvi alguns suspiros no cinema, naquele momento.

E a história dos relâmpagos que caíram sete vezes no mesmo homem? Foi muito engraçado. Mas nem todos riram, porque deve doer muito. Deve ser como levar um choque.

=================================================================

Faltou dizer que comecei a ler o jornal Valor Econômico, quase diariamente.  Se depender de notícias de jornais para fazer previsões de futuro a empresários, e eu fosse vidente, diria:  você vai quebrar. Essa previsão teria boa chance de acerto.

Não é terrível?  Seria melhor ouvir discursos de governantes?

E essa história do sul coreano  que previu catástrofes financeiras e acertou? e ele era um desempregado. Não era doutor de Harward e nem recebeu um prêmio Nobel.

 Veja na      

http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u493990.shtml

"Blogueiro é levado à Justiça em Seul por previsões sobre economi a   -  da Efe, em Seul

O polêmico autor de um blog que teria lançado falsos rumores sobre a economia sul-coreana, conhecido como Minerva, será julgado em Seul por um tribunal especializado em questões financeiras, informou neste sábado (24) a agência de notícias local Yonhap.

O blogueiro, de 31 anos e sobrenome Park, ficou famoso na Coreia do Sul após fazer vários prognósticos muito precisos sobre a crise econômica global. Entre suas estimativas estava a quebra do gigante banco de investimentos americano Lehman Brothers.   Apesar do acerto de seus artigos, Park é um homem desempregado com educação limitada e total inexperiência no setor econômico.